segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A TERCEIRA MENSAGEM APOCALIPSE - Perdão e Salvação

"Qual é a nossa iniquidade, qual é o nosso pecado, que cometemos contra o SENHOR, nosso Deus?" (Jeremias 16:10)

O homem ao pecar, transgride a Lei de Deus, isso é fato (I João 3:4; Romanos 4:15; Romanos 7:7). Não existe pecado que não seja a violação de um dos seus preceitos.

A Lei de Deus (Dez Mandamentos) revela ao homem o seu respectivo pecado, e ele, quando reconhece o erro cometido - mediante o Espírito Santo (João 16:7-11; Atos 7:51; Tito 3:5) - chega a conclusão que precisa de Cristo para alcançar o perdão que, só pode ser concedido pela graça.
"A graça é uma oportunidade conferida aos pecadores, e tem o sentido de uma dívida perdoada, de um perdão concedido, de uma libertação sem paga, de um jugo desatado, de uma 'carga retirada dos ombros'. Graça é a mais alta expressão do amor de Deus manifestado no sacrifício de Jesus em favor dos pecadores, e estes são assim considerados por transgredirem a lei divina." 1 "A graça é favor imerecido concedido aos pecadores." 2
O homem nunca obterá o perdão por suas obras; somente pela graça, unicamente, ele o conseguirá. "Volta-te, SENHOR, e livra a minha alma; salva-Me por tua graça." (Salmos 6:4) Entretanto, quando o homem aceita a graça, obtendo assim o perdão pelos seus erros, à ele não é permitido retornar ao pecado, a menos que deliberadamente escolha o caminho da perdição. As palavras de Cristo quanto a isso são: “vai e não peques mais.” (João 8:11)
Volvemo-nos novamente ao pecado depois que somos perdoados? É nos permitido pecar novamente porque obtemos o perdão mediante a graça que vem de Cristo? De modo nenhum! (Romanos 6:15) Então por que violar os mandamentos da Lei de Deus? Como pode o cristão seguir a Cristo e ao mesmo tempo desrespeitar Seus mandamentos?3
E, assumir o erro cometido contra a Lei de Deus, não isenta o pecador de sua culpa, ele terá que pagar por sua transgressão; mas, é nesse momento que Cristo intervém e oferece Seu sangue como pagamento; é nesse instante que a graça se faz presente quando o pecador a aceita pela fé e assim alcança o perdão de sua transgressão (Isaías 53:1-12; João 1:29).
No entanto, muitos confundem perdão com a salvação. Perdão é a aplicação direta da graça, e salvação é a permanência na graça pela fé em Cristo e obediência aos Seus mandamentos (Apocalipse 14:12 cf I João 2:1-4). O pecador pode chegar a receber o perdão mas nunca desfrutar da salvação se posteriormente se desviar desses requisitos exigidos. Somente a graça abre as portas para que o homem seja perdoado e assim tenha condições de seguir os caminhos de Jesus Cristo rumo a salvação.
O erro mais comum no cristianismo é achar que o perdão obtido (mediante a graça) anula a obediência a Lei de Deus. Satanás é o originador desse lastimável ensino (Apocalipse 12:17) e, muitos, iludidos por seus sofismas "riscam" a obediência aos mandamentos de Deus como - um dos - requisitos para alcançar a salvação, e assim trilham nos caminhos de Satanás em direção a perdição (Apocalipse 22:14-15).
O próprio Cristo esclareceu que para alcançar a vida eterna (salvação) é necessário obedecer aos Dez Mandamentos (Mateus 19:16-22; Mateus 5:17-19 cf João 14:15-26). E este ensino é muitíssimo claro: Como poderia alguém ter acesso ao reino de Deus violando a Sua lei que proíbe: criar e adorar imagens,
matar, roubar, desonrar os pais? Enfim, existe possibilidades de alguém alcançar a vida eterna a transgredir qualquer mandamento do Decálogo? (Tiago 2:10)
"Perante o crente é apresentada a maravilhosa possibilidade de ser semelhante a Cristo, obediente a todos os princípios da lei. Mas por si mesmo é o homem absolutamente incapaz de alcançar esta condição. A santidade que a Palavra de Deus declara dever ele possuir antes que possa ser salvo, é o resultado da operação da divina graça, ao submeter-se à disciplina e restritoras influências do Espírito de verdade. A obediência do homem só pode ser aperfeiçoada pelo incenso da justiça de Cristo, o qual enche com a divina fragrância cada acto de obediência. A parte do cristão é perseverar em vencer cada falta. Constantemente deve orar para que o Salvador sare os distúrbios da alma enferma pelo pecado. Ele não tem sabedoria ou a força para vencer; isso pertence ao Senhor, e Ele os outorga a todos os que em humildade e contrição d´Ele buscam auxílio." - Elle G. White, Atos dos Apóstolos, (seção V, capítulo 52), p. 532.
E a fé em Cristo, outro requisito, extremamente importante para se obter salvação, pois "sem fé é impossível agradar a Deus..." (Hebreus 11:6), seria ela - unicamente - necessária para herdar a vida eterna? “... se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?” (Tiago 2:14)
Um exemplo são os demónios, eles creem em Deus e tremem. Serão salvos por isso? De modo algum! E por quê? Porque se recusaram a andar nos caminhos da Lei de Deus (Tiago 2:19). Em Tiago 2:10-13 e Tiago 2:14-26 tem-se o ensino da interdependência dos mandamentos da Lei de Deus e, a relação entre a fé e as obras.
E antes que Cristo volte pela segunda vez, surgirão "desculpas" por partes daqueles que não desejam um compromisso sério com Deus e a Sua lei; estarão a alimentar uma fé que atenda às suas necessidades particulares. Haverá aqueles que ardorosamente se apoiarão em teorias humanas para amenizar as suas consciências quando o Decálogo lhes apontar os seus respectivos pecados.
Paulo discorrendo sobre a(s) crença(s) que cada um acredita, professa e segue, "finaliza" este assunto dizendo:
"A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova" (Romanos 14:22)
-------------------------------------------
1. Extraído de: CHRISTIANINI, A. B. (1981). Subtilezas do Erro, 2.ª ed., p. 94.
2. STRONG, A. H. Systematic Theology, p. 779.
3. Romanos 3:31; I João 5:1-5; João 3:21-24; João 14:12-26 cf II João 1:4-6; Hebreus 10:16-17.

Sem comentários:

Enviar um comentário