quinta-feira, 26 de novembro de 2009

DANIEL TAMBÉM SONHOU


Em Daniel 7, encontramos o sonho fascinante de Daniel. Sonha com quatro animais, alguns eram-lhe familiares mas não todos, acompanhe com a sua Bíblia.
Estudaremos mais uma profecia que mostra o tempo em que estamos vivendo e porquê creio que estamos vivendo no tempo do fim.
Daniel teve essa visão no ano 553 a.C. quando contava com cerca de 70 anos de idade. Nabucodonosor já havia falecido há nove anos. Seus sucessores não tinham o mesmo brilho e competência e Belsazar, co-regente com seu pai, Nabonido, não prometia muito. Era uma época de incerteza política para todos.
Daniel, idoso, ainda continuava activo. Babilónia continuava como um grande império, apesar de ter-se passado cerca de 50 anos desde que Nabucodonosor tinha tido a visão da estátua descrita em Daniel 2.
A visão que estudaremos agora está em Daniel 7:2 a 14.
“Falou Daniel e disse: Eu estava olhando, durante a minha visão da noite, e eis que os quatro ventos do céu agitavam o mar Grande. Quatro animais, grandes, diferentes uns dos outros, subiam do mar. O primeiro era como leão e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas, foi levantado da terra e posto em dois pés, como homem; e lhe foi dada mente de homem. Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o qual se levantou sobre um dos seus lados; na boca, entre os dentes, trazia três costelas; e lhe diziam: Levanta-te, devora muita carne. Depois disto, continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha nas costas quatro asas de ave; tinha também este animal quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio. Depois disto, eu continuava olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível, espantoso e sobremodo forte, o qual tinha grandes dentes de ferro; ele devorava, e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele e tinha dez chifres. Estando eu a observar os chifres, eis que entre eles subiu outro pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava com insolência. Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros.
Então, estive olhando, por causa da voz das insolentes palavras que o chifre proferia; estive olhando e vi que o animal foi morto, e o seu corpo desfeito e entregue para ser queimado. Quanto aos outros animais, foi-lhes tirado o domínio; todavia, foi-lhes dada prolongação de vida por um prazo e um tempo. Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha com as nuvens do céu um como o Filho do Homem, e dirigiu-se ao Ancião de Dias, e o fizeram chegar até ele. Foi-lhe dado domínio, e glória, e o reino, para que os povos, nações e homens de todas as línguas o servissem; o seu domínio é domínio eterno, que não passará, e o seu reino jamais será destruído.” (Daniel 7:2 a 14)

Neste sonho Daniel viu um mar agitado por ventos. E neste tumulto, nesta tempestade, ele viu um enorme LEÃO, diferente de todos os leões que ele já havia visto. O leão possuía asas! Mas de repente as asas foram “arrancadas” e “e lhe foi dada mente de homem”, e o leão se levantou e ficou de pé, “como homem”. (Daniel 7:4)
Preste atenção porque esse sonho foi interpretado, e através desse sonho Daniel viu o futuro. E hoje podemos através dele também saber em que tempo estamos vivendo.
A seguir apareceu um URSO que parecia ter um lado mais alto do que o outro. O urso “se levantou sobre um dos seus lados”, e trazia três costelas na boca. (Daniel 7:5)
Logo a seguir surgiu um LEOPARDO que possuía quatro cabeças e quatro asas. (Daniel 7:6)
Mas aí apareceu um animal que Daniel nunca havia visto. Ele era horrível. Um monstro aterrador que ele descreve como um ANIMAL TERRÍVEL, ESPANTOSO, sobremodo forte, “diferente de todos os animais que apareceram antes dele”. Daniel não encontrou uma descrição adequada para ele. Alguns detalhes sobre esse animal foram descritos por Daniel: ele possuía “dez chifres” ; tinha um aspecto ameaçador e assassino, com enormes unhas de bronze e dentes de ferro. Ele “devorava, fazia em pedaços e pisava aos pés o que sobejava”. (Daniel 7:7 e 19)
Daniel ainda estava perplexo com o estranho animal quando viu que um chifre “pequeno” tentava abrir espaço entre os dez e conseguiu derrubar três dos dez chifres. Este chifre pequeno era diferente dos outros dez porque tinha “olhos, como os de homem, e uma boca que falava com insolência.” (Daniel 7:8)
Neste momento Daniel teve sua atenção desviada dessa cena horrível para um cena gloriosa no Céu. Lá ele pode ver o Ancião de Dias em sua obra de julgamento, próximo ao fim dos dias. Daniel ainda viu este quarto animal, também chamada de quarta besta, morta, enquanto “domínio, e glória, e o reino” foram dados a “um como o Filho do homem”. (Daniel 7:9 a 14)
Daniel ficou perturbado com essa visão, mas aproximou-se de alguém que estava perto, certamente um anjo, pediu a ele que contasse “a verdade acerca de tudo isto”. (Daniel 7:16)
E o anjo interpretou o sonho para Daniel. Esta interpretação está descrita em Daniel 7 dos versos 17 em diante.
Ao estudarmos a interpretação dada pelo anjo veremos que Deus estava mostrando o futuro a Daniel. Embora a maior parte dessa profecia já se cumpriu e aponta para o tempo em que estamos vivendo, algumas coisas ainda não se cumpriram e estão prestes a acontecer.
O anjo respondeu simplesmente: “Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis, que se levantarão da Terra.” (Daniel 7:17) E logo começou a falar do final feliz da visão:
“Os santos do Altíssimo receberão o reino, e o possuirão para todo sempre, de eternidade em eternidade.” (Daniel 7:17 e 18)

 Ficaria feliz com uma interpretação tão resumida?

Daniel também não ficou e suplicou ao anjo que lhe desse outros detalhes desse quarto animal e seus chifres. E o anjo começou a explicar:

“O quarto animal será um quarto reino da Terra”. (Daniel 7:23)

Com esse esclarecimento percebemos que estamos diante da mesma série de potências mundiais de Daniel 2, mas agora com um pouco mais de detalhes quanto ao que aconteceria no futuro.

Lembra-se do que mencionei? A medida em que vamos estudando as profecias o panorama da história deste planeta irá se abrindo e você verá que tudo o que foi predito se cumpriu de forma matemática. E é óbvio que o que está predito para o futuro também se cumprirá. Com isso podemos saber exactamente em que tempo estamos a viver.
Como já vimos a Bíblia tem toda a chave para entendermos os símbolos proféticos. Note só os exemplos abaixo:
Em Daniel 7:2 aparecem as palavras “Mar Grande” e em Apocalipse 17:15 temos a aplicação para este símbolo “As águas... são povos, multidões, nações e línguas.” Ou seja: ÁGUAS = POVOS E NAÇÕES
Em Daniel 7:2 aparecem as palavras “Quatro Ventos” e em Jeremias 49:36 e 37 temos a aplicação para este símbolo: “Trarei sobre elas Elão os quatro ventos... e enviarei após eles a espada, até que venha a consumí-los.” Ou seja: VENTOS = GUERRAS, LUTAS E PROBLEMAS
Em Daniel 7:3 aparecem as palavras “Quatro Animais Grandes” em Daniel 7:23 temos a explicação: “O quarto animal será o quarto reino...” Ou seja: ANIMAL (OU BESTAS) = REINOS
A seguir veja a explicação para todos estes símbolos e perceba que também por esta profecia estamos nos últimos dias da história deste mundo e nos aproximamos da volta de Jesus.

Sem comentários:

Enviar um comentário